top of page

Milicianos são presos por corrupção ativa, extorsão, ameaça e revenda de drogas de traficantes no Amazonas

Manaus (AM) — Um delegado e outros Policiais Civis e Militares foram presos, no final de semana, por suspeita de envolvimento em crimes de extorsão mediante a sequestro, no bairro Correnteza, no município de Manacapuru, interior do Amazonas. Na manhã desta segunda-feira (25), representantes das forças de segurança deram detalhes sobre a prisão dos agentes, acusados de cometer crimes no Estado.



Foram presos na operação o delegado Ericson de Souza Tavares, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), os investigadores Eliezio Alencar de Castro, Anderson de Almeida Maia e Alessandro Edwards da Cruz, o sargento da PM, Alexandro Conceição dos Santos, os cabos Jozimo Diniz da Silva, Eldon Nascimento de Souza, Ueslei Rodrigues da Silva, Kemer Cruz Pimentel, Edvaldo Ewerton Pinto de Souza e o ex-policial militar Germano da Luz Júnior.



Segundo a investigação, os suspeitos apreendiam drogas de traficantes e revendiam para outros grupos criminosos, técnica popularmente conhecida como “arrocho”. O Coronel Klinger Paiva, comandante geral da Polícia Militar, explicou que o grupo já estava sendo investigado, mas a prisão só ocorreu no domingo, em Manacapuru, interior do Amazonas.



“Diversas denúncias estavam chegando por vários meios, tanto na Polícia Civil quanto na Militar, de que havia servidores da área de segurança envolvidos em casos de extorsão. Então, já havia essa comunicação para tentarmos identificar quem eram esses servidores e ontem teve essa ocorrência em flagrante”, apontou o responsável.


Entre os presos estão seis policiais militares, quatro civis, um ex-policial e duas pessoas comuns. No momento da prisão, o grupo portava armamento com numeração raspada e um carro adulterado.



Os acusados estão presos preventivamente e responderão por extorsão, adulteração de veículo automotor, porte ilegal de arma de fogo. Também foram apreendidos armamentos da corporação e outros de fora, veículos com sinais de adulteração, capas de coletes, placas balísticas, balaclavas, carregadores e munições. As investigações vão continuar e além delas, medidas administrativas serão tomadas pela Corregedoria.


O secretário da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Vinicius Almeida, salientou que a corporação não compactua com as práticas dos suspeitos e parabenizou as equipes de investigação.


“Não iremos passar a mão na cabeça de quem comete qualquer deslize. É preciso destacar a belíssima ação dos policiais de Manacapuru, que tiveram a coragem e a hombridade de levar até o final; não é uma ocorrência simples e nem que nos traz orgulho, mas é o nosso ofício”,

finalizou Vinícius Almeida (bolinha).


Repost por Dr. Thiago Vital Barroso



Essa notícia tem a finalidade de difundir informação. Não tem por objetivo facilitar ou coordenar atividades que possam causar danos a outras pessoas. O link dos dados da matéria na íntegra podem ser consultados conforme sua produção e de seus autores, com acesso livre nos endereços informados na notícia. Não oferta-se continuidade do pós-notícia e nem réplica, procure os seus devidos canais de comunicação através de Fale Conosco dos respectivos órgãos citados.

6 visualizações

Comments


bottom of page