top of page

CFM investiga presidente do CRM-AM por emitir registro em psiquiatria sem ter feito residência ou prova de título

Fonte: G1 AM


Segundo o CFM, a denúncia chegou ao órgão em 12 de janeiro e questionava o título de especialização de Jorge Akel, e de outra médica.


Sede do Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM). — Foto: Divulgação


O presidente do Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM), Jorge Akel, emitiu um registro em psiquiatria sem ter feito residência médica ou ter passado na prova de título para exercer a especialidade. A informação foi confirmada pelo Conselho Federal do órgão (CFM).


Segundo o CFM, a denúncia chegou ao órgão no dia 12 de janeiro e questionava o título de especialização de Akel e de outra médica.


O g1 tenta contato com a defesa de Jorge Akel, mas não obteve sucesso até a publicação deste material.


Após saber do caso, o Conselho Federal solicitou informações ao CRM-AM, sobre os processos de concessão de registro de qualificação de especialidade dos médicos mencionados.


"Após uma análise completa do caso, identificou-se que o registro do Dr. Jorge Akel Thomaz de Lima está em desconformidade com as normativas emitidas pelo CFM. Por esse motivo, foi encaminhado um novo ofício ao CRM-AM para as devidas providência", disse o presidente do Conselho Federal José Gallo.

Já em relação à outra médica, o CFM disse que o registro está em conformidade com o estabelecido em resoluções do órgão.


Em nota, o CRM-AM disse que recebeu com seriedade e responsabilidade a solicitação de esclarecimentos por parte do Conselho Federal em nome do atual presidente do órgão, sem os requisitos obrigatórios estabelecidos.


O Conselho também disse que se coloca à disposição para colaborar com a elucidação dos fatos. Leia na íntegra!



Repost Por Dr. Thiago Vital Barroso



Essa notícia tem a finalidade de difundir informação. Não tem por objetivo facilitar ou coordenar atividades que possam causar danos a outras pessoas. O link dos dados da matéria na íntegra podem ser consultados conforme sua produção e de seus autores, com acesso livre nos endereços informados na notícia. Não oferta-se continuidade do pós-notícia e nem réplica, procure os seus devidos canais de comunicação através de Fale Conosco dos respectivos órgãos citados.

2 visualizações

Comments


bottom of page